Terça, 18 de Junho de 2024 11:26
64 99648-7654
Geral Tecnologia

Nova edição da maior pesquisa de cibersegurança do Brasil terá análise setorial e participação de empresas de todos os portes

·  Após sucesso da 1ª edição, em 2023, realizada com empresas de capital aberto, Security Design Lab amplia estudo para incluir empresas de capital fechado e governos

27/05/2024 09h14
Por: Gideone Rosa Fonte: Ryto Public Affairs
Foto: Divulgação digital
Foto: Divulgação digital

· Pesquisa 2024 também contará com três novos capítulos: ESG, Inteligência Artificial e regras de cibersegurança da SEC (Security Exchange Commission)

São Paulo, maio de 2024. O Security Design Lab (SDL) – rede global de pesquisa e desenvolvimento de cibersegurança com operação na América do Sul e Europa –, em parceria com o Capital Markets Lab e o MITI (Markets, Innovation & Technology Institute) – entidade de base acadêmica e técnica de mercado para apoio ao desenvolvimento de pesquisas –, anuncia o início dos preparativos para a 2ª edição da maior pesquisa do país com foco na análise da maturidade das empresas brasileiras em relação à segurança cibernética. Com o sucesso da 1ª edição, que contou no ano passado com a participação de 109 companhias de capital aberto e foco no mercado de capitais, desta vez o estudo vai analisar também empresas de capital fechado de todos os portes e governos, além de outras novidades.

A edição 2024 contará com análises setoriais e a inclusão de três capítulos: ESG, Inteligência Artificial e regras de cibersegurança da SEC (Security Exchange Commission) para o mercado de capitais norte-americano.

"O ineditismo dessa iniciativa foi muito bem recebido pelo mercado e gerou discussões importantes. Vamos manter o caráter inovador da pesquisa e oferecer mais insumos, consolidando esse estudo como uma referência do tema de cibersegurança no país. Isso permitirá uma reflexão quanto à situação das companhias brasileiras e uma análise estratégica e de competitividade das ações já tomadas e iniciativas futuras para mitigar os riscos cibernéticos e seus impactos nos negócios", conta Nycholas Szucko, conselheiro do Security Design Lab.

Resultado geral da pesquisa será divulgado no final do ano
Neste primeiro momento, estão sendo organizados os conteúdos e novas parcerias com instituições setoriais e empresas apoiadoras, e, na sequência, serão disponibilizados os formulários para preenchimentos das empresas que se interessarem em participar de forma gratuita. O resultado geral do estudo será divulgado em um evento no final deste ano. As empresas participantes receberão um relatório individual com os dados do seu grau de maturidade em relação à cibersegurança.

Além de parceiros do ano anterior, já estão confirmados os apoios institucionais de entidades como ABCIS (Associação Brasileira CIO Saúde), ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) e Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (ASSESPRO), entre outras.

O estudo é baseado nas recomendações e melhores práticas das principais agências mundiais de segurança cibernética. Na primeira edição, a nota média das empresas participantes ficou em 4,9, em uma escala de 0 a 10, indicando um grau de maturidade mediano.

Os dados da pesquisa mostraram que a maioria das companhias (93%) possui mecanismos para detectar ataques cibernéticos, porém, 42% delas não tinham plano de resposta a incidentes de cibersegurança e não contavam com executivos responsáveis pela segurança da informação, e 65% não orientavam as equipes para lidar e responder a este tipo de incidente.

Metodologia da pesquisa
A metodologia utilizada na pesquisa é a do Cyber Score, desenvolvida e patenteada pelo SDL, que se baseia nas principais regulações e melhores práticas de segurança globais. As respostas são classificadas entre A, B, C, D ou E.

Nesta nova edição da pesquisa, as empresas receberão um link para cadastro e preenchimento das respostas. As informações serão usadas de forma anonimizada para os resultados do estudo e cada empresa receberá seu relatório privado.

Os acessos e os armazenamentos dos dados seguirão todas as normas de segurança, serão controlados e auditados, com uso das mais modernas tecnologias de segurança como passwordless, zero trust e criptografia, garantindo inviolabilidade e seguindo as exigências da LGPD.

Entre os patrocinadores já confirmados para esta edição da pesquisa estão Alvarez & Marsal, Howden, Security First, Castle e Urbano Vitalino Advogados. Outros interessados em apoiar ou patrocinar a pesquisa devem procurar a organização do SDL pelo e-mail .

Sobre o Security Design Lab
O SDL é um laboratório que avalia e certifica serviços e tecnologias de cibersegurança, colaborando com empresas e governos para reforçar a sua conformidade com as melhores práticas em cibersegurança. Contribui ainda para facilitar a compreensão das lideranças sobre o tema e apoia as equipas técnicas na garantia das alocações orçamentais, com foco na redução da exposição das empresas à crescente ameaça de ataques cibernéticos. Site: www.securitydesignlab.com.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Tecnologia
Sobre Tecnologia
Tecnologia presente no JN
Jataí, GO
Atualizado às 11h03
26°
Tempo limpo

Mín. 13° Máx. 28°

25° Sensação
3.85 km/h Vento
26% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (19/06)

Mín. 15° Máx. 30°

Tempo limpo
Amanhã (20/06)

Mín. 16° Máx. 31°

Tempo limpo
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias