Terça, 18 de Junho de 2024 13:21
64 99648-7654
Educação Cultura

Festival do Boneco chega à sua sétima edição com dez dias de intensa programação de espetáculos locais, nacionais e internacional, todos com entrada gratuita

Com apresentações em Goiânia, Anápolis e Pirenópolis, este ano o evento traz uma das criadoras do Teatro de Lambe-Lambe, a mestra bonequeira Denise Di Santos

10/05/2024 16h26 Atualizada há 1 mês
Por: Gideone Rosa
Espetáculo Habite-me - Carolina Garcia Marques (RS) - Foto: Paulo Balardim
Espetáculo Habite-me - Carolina Garcia Marques (RS) - Foto: Paulo Balardim

16 a 26/5 - 7º Festival do Boneco - Goiânia, Anápolis e Pirenópolis

Neste mês de maio de 2024, entre os dias 16 e 26, e uma oficina no dia 08 de junho, o estado de Goiás será palco, pela sétima vez, de um esperado evento teatral, que se tornou tradição tanto para artistas bonequeiros do país e do mundo, quanto para o público que aguarda pela oportunidade de conhecer obras e personagens que encantam e emocionam adultos e crianças com a magia de cenas que recriam e remontam fantasias, sonhos e realidade. Trata-se do 7º Festival do Boneco, a mostra que reúne os principais fazedores de uma arte milenar: o teatro de formas animadas. Este ano o evento foi estendido para outras cidades além de Goiânia, e será apresentado também em Anápolis e Pirenópolis. A programação completa pode ser conferida na rede social https://www.instagram.com/festivaldoboneco/. Toda a programação é gratuita. 

O Festival do Boneco acontece desde 2009 e esse ano conta com a produção da Bambolina Produções juntamente com a Ação Produtora de Eventos. O projeto foi contemplado pelo Edital de Fomento aos Festivais e Eventos do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás 2023 e pelo Programa Funarte de Apoio a Ações Continuadas 2023. O evento conta também com o apoio da Oficina Cultural Geppetto e do SESC Goiás.

Convidados de Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia e Chile

Com 23 obras programadas, um show musical, uma palestra com uma das mestras criadoras do teatro de Lambe-Lambe e uma oficina com a bonequeira Izabela Nascente, a expectativa é de que o 7º Festival do Boneco atinja milhares de pessoas, com atividades gratuitas em teatros, praças, escolas e espaços culturais de Goiânia, Anápolis e Pirenópolis. 

Semana 1: Com espetáculos que falam de vida, de morte e da aceitação do diverso, de meio ambiente e de maternidade, de modas de viola e da cultura popular nordestina, a primeira semana do evento tem diversão garantida para todas as gerações de apreciadores do teatro de animação:

O Festival começa no dia 16/5, quinta-feira, às 19h, no Teatro SESC Centro, com a estreia da versão para os palcos do espetáculo “Barbas” da goiana Cia de Teatro Nu Escuro. Produzido no formato de websérie em 2020 e agora adaptado para o palco, Barbas conta a rotina de Marabel, uma menina em plena fase de descobertas sobre a vida, seus medos, prazeres, vergonhas, e tudo mais que uma jovem tem para descobrir sobre a vida e o mundo. Um dia, porém, esse cotidiano é abruptamente quebrado pela morte de sua irmã. Marabel vê sua mãe adoecer e quando menos espera ela também se percebe entrando em um estado de melancolia. Em busca de refúgio, Marabel se transporta para um mundo imaginário, onde tudo é diverso e desconstruído. Um local onde tudo lhe parecia mais bonito e interessante. O novo espetáculo da companhia goiana, que já acumula 29 anos de estrada, nasce a partir de três pilares: de uma pesquisa de oito anos e histórias de vida de Izabela Nascente, sua criadora; da marca e identidade consolidadas da Nu Escuro; e da reinvenção da companhia, que adaptou seu fazer artístico em um ano pandêmico.

No dia 17/5, sexta-feira, também às 19h, é a vez do grupo Terra Imaginária, de São Paulo, apresentar “Vida Secreta das Fraldas”, no Teatro SESC Centro. No espetáculo, uma mãe, sozinha no palco, se depara com sua tarefa diária de arrumar, lavar e passar uma pilha de fraldas de pano. Sem dizer nenhuma palavra, ela sai por alguns minutos do mundo real e cria um mundo imaginário onde as fraldas se transformam em seres que contam a sua própria história. Um verdadeiro tributo às mulheres ao redor do planeta que descobrem o poder da criatividade e transformam o mundo em magia a cada dia. Com esta obra, a intérprete criadora do espetáculo, Andi Rubinstein, ganhou o prêmio de melhor atriz/manipuladora de bonecos no festival de teatro para a infância da Sérvia, tendo viajado à Russia, Argentina, entre outros países, recebendo sempre o carinho do público e da crítica.

No sábado, 18/05, tem Cia Trucks, de São Paulo, no Teatro SESC Centro, às 15h, e Pigmalião Escultura que Mexe, de Belo Horizonte, na Oficina Cultural Geppetto, às 19h. A Trucks apresenta em Expedição Pacífico uma séria e poética brincadeira que mistura uma grande ilha de lixo, que cresce a cada dia em algum ponto do Oceano Pacífico, a dois “carroceiros”, marginalizados, tratados à deriva pelos asfaltos. Os dois criativos catadores de recicláveis são capazes de construir, de quase nada, um mundo fantástico, de diversão, bom humor e muitos sonhos. Já a Pigmalião, de Minas Gerais, traz Seu Geraldo Voz e Violão, um violeiro e cantor de 73 anos. Uma figura singular que gosta de falar com a sua platéia sem barreiras, sobre o assunto que a ocasião mandar. Faz seu show ao lado da namorada, Dona Catarina, de 81 anos, e Ana, sua irmã. Os três relembram músicas antigas e sempre surpreendem pela escolha de seu repertório e pelo teor inesperado de suas conversas. Seriam três idosos como outros tantos, não fossem eles marionetes de fios, esculpidas em madeira, absolutamente conscientes de que são seres humanos normais.

No domingo, 19/5, às 15h, no Parque Mutirama é a vez da criançada se divertir muito, com a Mamulengo Fuzuê, do Distrito Federal. O espetáculo "Benedito, Abençoado e Bendizido" apresenta Benedito, Rosinha e o Boizinho Fuzarca, que lançam mão de muita irreverência e esperteza para fugir dos perigos representados pelo Terrível Coronel João Redondo e a fantástica Cobra Anaconda. Este vibrante espetáculo reúne vários personagens tradicionais do Teatro de Bonecos Popular do Nordeste, e a brincadeira convida a audiência a um passeio pelo imaginário popular brasileiro através de cantos e cantigas executadas ao vivo por músicos brincantes que fortalecem o elo entre os bonecos e o público. 

Semana 2: A semana começa com a programação do Festival do Boneco nas Escolas, levando obras inclusivas, como Dr. Raimundo, do Coletivo Justina, de Aparecida de Goiânia, ou provocando a curiosidade dos estudantes, através das caixas de lambe-lambe do Coletivo Lambes Goiano, para escolas dos bairros Jardim São José e Vila Isaura.

Nesta semana também será o encontro com uma das mestras criadoras do teatro de Lambe-Lambe, a baiana Denise di Santos, que fará uma roda de conversa na sexta-feira, 24/5, na Oficina Cultural Geppetto. Mesmo dia em que o espetáculo “Habita-me”, de Carolina Garcia Marques (Morro Reuter/RS), será apresentado no Teatro Goiânia, às 20h, apresentando ao público da capital como a arte ainda é capaz de nos lembrar sobre a brevidade da vida, sobre nossa efêmera passagem neste planeta e sobre como os caminhos que escolhemos para percorrer essa jornada Habitar confunde-se com o fato de ser habitado. O corpo humano, investido de máscaras e bonecos, o espaço, a luz e a música, percorrem o tema da habitação e angariam um sentido onírico e metafísico, ao associar-se com a vida e com a morte bem como com a sensação de pertencimento que nos preenche quando encontramos sentido em algo que nos completa.

Por fim, no domingo, 26/5, a Oficina Cultural Geppetto convida a todos, a partir das 17h, para que o público participe de um encerramento festivo, com Mostra Itinerante de Teatro Lambe-lambe, incluindo a participação especial de Denise Di Santos, com sua caixa "A Dança do Parto", e por fim o show musical do grupo Zabumba de Chita, um coletivo de mulheres brincantes apaixonadas pela cultura popular brasileira, que desde 2017 pesquisa, toca, canta, dança e troca experiências sobre ritmos da cultura popular brasileira, criando músicas autorais, buscando uma ressignificação das tradições e ao mesmo tempo tendo como forte temática o protagonismo feminino na música e na vida. . O quarteto é composto por Larissa de Paula, Isabella Rovo, Érika Ribeiro e Juliana Bernardes.

Festival do Boneco nas Escolas

No Festival do Boneco, a arte se encontra com a educação, em espetáculos especiais dedicados a serem apresentados em escolas de Goiânia. O primeiro deles será na sexta-feira, 17/5, 11h. O espetáculo “Bendito os Beneditos”, do grupo Inventor de Sonhos, de Olhos D’Agua/GO, deve divertir a moçada do Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação - CEPAE/UFG, com os bonecos que emergem das malas para encantar, através de personagens cativantes como Dona Quitéria e João Redondo, mamulengos com os quais o Inventor de Sonhos atua há mais de 20 anos.

Na segunda-feira, 20/5, é a vez do Coletivo Justina e Teatro Ludos, de Aparecida de Goiânia, apresentar o Dr. Raimundo para os alunos da Escola Municipal Laurindo Sobreira do Amaral, no Jardim São José, em Goiânia. O espetáculo apresenta de forma inclusiva, através de um livro espetáculo, um menino diferente das outras crianças, que cria sua própria terra maravilhosa chamada Tatipirum. Com elementos da brasilidade e referências a mitos brasileiros, a dramaturgia inspirada promete encantar o público, por uma história de inclusão e empatia.

A terceira imersão do Festival de Boneco na escola será através das caixas de teatro de Lambe-Lambe, com o Coletivo Lambes Goiano, e a sua Feira de Espiar. Nesta feira, em que os alunos assistem um a um os pequenos espetáculos dentro das casas de espetáculo, participam artistas de Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia, que se dividem em diferentes configurações para suas apresentações. A intervenção será na terça-feira, 21/5, na Escola Munincipal Dona Belinha, na Vila Isaura, em Goiânia.

Mostra Teatro Lambe-Lambe pela primeira vez dentro da programação do Festival do Boneco

O TEATRO LAMBE-LAMBE é uma casa de espetáculos em miniatura e autônoma, que abriga em si a semente de narrativas que florescem na imaginação de cada espectador, de forma individual, em apenas 3 minutos. Para assistir ao espetáculo de miniaturas, o espectador precisa espiar por uma pequena abertura e acompanhar uma história com personagens, dramaturgia, iluminação, sonorização e todos os elementos que compõem uma sala de espetáculo de tamanho convencional. 

Este estilo teatral brasileiro foi criado pelas artistas nordestinas Denise di Santos e Ismine Lima, em Salvador/BA, no ano de 1989, e leva esse nome em homenagem aos quase extintos fotógrafos lambe-lambe (também conhecidos como fotógrafos de praça), já que o formato da caixa cênica itinerante é semelhante às antigas câmeras desses fotógrafos. Devido à fácil mobilidade e adaptabilidade, trata-se de uma maneira democrática de fazer teatro, com a possibilidade de atingir os mais diferentes públicos, especialmente aqueles para os quais o teatro convencional não consegue chegar.

Pela primeira vez dentro da programação do Festival do Boneco será realizado uma mostra destinada a esta linguagem teatral, com participação de 14 espetáculos de teatro lambe-lambe, com representantes de cinco estados brasileiros e um do Chile, com destaque para a participação de uma das criadoras desta técnica, a baiana Denise Di Santos, que virá com o espetáculo “A Dança do Parto”, o primeiro espetáculo de teatro lambe-lambe. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Jataí, GO
Atualizado às 11h03
26°
Tempo limpo

Mín. 13° Máx. 28°

25° Sensação
3.85 km/h Vento
26% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (19/06)

Mín. 15° Máx. 30°

Tempo limpo
Amanhã (20/06)

Mín. 16° Máx. 31°

Tempo limpo
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias