Sábado, 25 de Setembro de 2021
29°

Pancada de chuva

Jataí - GO

Dólar
R$ 5,33
0%
Euro
R$ 6,25
-0.001%
Peso argentino
R$ 0,05
+0.049%
Bitcoin
R$ 268,773,25
+2.269%
Bovespa
113,282,67 pontos
-0.69%
Internacional Diamante

Lições da transição de carreira de Messi

Um novo diamante em Paris: é dessa forma que o PSG dá destaque a sua nova contratação, Lionel Messi.

21/08/2021 às 09h10
Por: Gideone Rosa Fonte: Mackenzie/JN
Compartilhe:
De acordo com
De acordo com "A Gazeta Esportiva", Messi é de longe o maior artilheiro da história do Barcelona (634 gols em 731 partidas oficiais)"

Por Mariana Munis

E quem diria que o jogador sairia um dia do Barcelona: vivemos para ver isso, afinal, a marca Messi estava sempre muito atrelado a marca do time da Catalunha. Foram mais de vinte anos de dedicação ao clube e muitas conquistas.

Nota-se, assim, que Messi tinha total relação com a cultura organizacional do Barcelona. De acordo com Rocco Júnior, em seu artigo acadêmico escrito em 2014, os principais valores do clube catalão são a ética, o trabalho em equipe, a inovação, a liderança e o respeito, os quais transcendem os muros do clube. Uma vez, Daniel Alves, em 2014, foi repreendido pelo então capitão do time, Puyol, de ter feito uma dancinha, ao comemorar um gol contra um adversário. Na coletiva de imprensa, Alves pediu desculpas, afinal, esse tipo de atitude não representa os valores do Barça (respeito aos adversários).

Vimos isso também acontecer com Neymar: a cultura do Barcelona fazia o atleta se preocupar mais com a bola do que com os fatores externos, o que fez com que o brasileiro conquistasse títulos, gols e grande atuação no clube .

Além do mais, Messi é fruto da La Nueva Masía, responsável por converter jovens que tenham sinergia com a cultura do time, em atletas de elite do futebol profissional.

Logo, acompanhamos Messi ir do time de base, ao estrelato. De acordo com "A Gazeta Esportiva", Messi é de longe o maior artilheiro da história do Barcelona (634 gols em 731 partidas oficiais), o artilheiro da história do Campeonato Espanhol (444 gols), o jogador que mais marcou gols numa única temporada (91 em 2012) e o que ganhou mais títulos com o Barcelona, 34 no total, incluindo quatro Liga dos Campeões' (2006, 2009, 2011, 2015) e dez campeonatos espanhóis.

Messi também foi eleito seis vezes o melhor do mundo, uma a mais que o português Cristiano Ronaldo, além ter sido em seis temporadas o maior artilheiro da Europa.

Seu recorde é insuperável, individual e coletivamente, e a única coisa que falta é a consagração com um grande título com a seleção argentina, pela qual ganhou uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2008 e chegou às finais da Copa do Mundo de 2014 e da Copa América em 2007, 2015 e 2016.

Messi me fez refletir que, depois de tantos anos numa empresa, podemos sim encarar novos desafios, desde que:

• Todos saiam ganhando e que o processo de transição seja ético, íntegro e transparente: devemos pensar sempre em sair de portas abertas, afinal, não sabemos se no dia de amanhã voltaremos à empresa que nos deu alento por tanto tempo;

• A sua marca dê um match com a cultura organizacional da outra empresa: Nota-se que, em meio a tamanha notoriedade, Messi permanece discreto, refletindo demasiadamente a cultura do Barcelona. Portanto, antes de sair da empresa, devemos estudar muito a cultura, propósito e valores da marca que quer te contratar. Será que esta tem sinergia com seus valores? Ao longo de toda sua carreira, Messi recebeu inúmeras propostas e esperou o momento certo para sair do clube que fez história. Messi no PSG também jogará com Neymar, seu parceiro de outrora no Barça. Logo, a transição de carreira fica muito mais fácil, ao trabalharmos com um time de pessoas já conhecidas.

• Sua marca pessoal agregue ainda mais valor a marca da empresa que vai: apenas no dia de anúncio da ida do craque ao PSG, o clube ganhou cerca de três milhões de seguidores no Instagram, entre 10 e 11 de agosto de 2021. Além do mais, o PSG venderá mais camisetas e produtos do clube, trará mais patrocinadores de renome, bem como venderá ingressos e sócio-torcedor para que os fãs acompanhem Messi no estádio. Claro que não temos a dimensão do Messi, mas é importante termos em mente como nossa marca pessoal pode agregar valor aos negócios da empresa que iremos estabelecer nova parceria.

Para finalizar essa reflexão, outra coisa que me chamou muito atenção é que, em sua coletiva de despedida do Messi, houve uma comoção generalizada de todos que estavam por ali, desde jornalistas, administração do clube, companheiros de equipe: todos choraram saudosistas com a saída de Messi.

Portanto, Messi também nos faz refletir sobre qual é o legado que deixamos na empresa e às pessoas que cruzaram nossos caminhos e nos convida, assim, a fazer história por onde passamos.

A autora

Mariana Munis é professora de Marketing e Comportamento do Consumidor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias