Segunda, 19 de Abril de 2021 19:22
64 99648-7654
Geral "Loucura"

Uma "profecia" que torcíamos para que não se cumprisse

Em julho de 2020 o Professor, Pesquisador Thiago Rangel disse do avanço descontrolado da Covid-19 no stado

05/04/2021 09h35 Atualizada há 2 semanas
386
Por: Gideone Rosa Fonte: J.O. / JN
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Por conta de sua previsões assustadoras o Professor foi hostilizado.

Infelizmente, lá naquele fatídico dia 12 de julho de 2020, o Pesquisador Thiago Rangel, através de dados estatísticos, fazia previsões tenebrosas sobre o avanço descontrolado da pandemia em Goiás.

Para refrescar a memória o JN buscou parte da matéria em que o Pesquisador fala de suas previsões, nas quais relata que em tempo record Goiás passaria da casa das mil mortes causadas pela Covid-19 e o número exponencial de contaminação. Hoje a realidade é exatamente o que o professor dizia naquela altura, o avanço avassalador da doença, super lotação dos hospitais e mortes, muitas mortes.

Veja a seguir a matéria exibida pelo Jornal Opção e replicada pelo Jataí News:

“Não tivemos um dia de lockdown. Apenas uma quarentena meia-boca que ninguém respeita”, afirma pesquisador da UFG

domingo 12 julho 2020 0:00  Por Augusto Diniz 

Responsável por modelo de projeção do aumento de casos e mortes em Goiás, Thiago Rangel diz que ataques nas redes sociais são risíveis de tão infantis

Desde o início da pandemia da Covid-19 no Brasil, os gestores públicos são cobrados a apresentar o embasamento técnico que foi utilizado na hora de tomar decisões sobre ampliar as restrições nos Estados e municípios. Até mesmo na hora de retomar as atividades econômicas não essenciais, o presidente da República, governadores e prefeitos precisam explicar como chegaram à conclusão de que aquele era o momento de incentivar a ida de mais pessoa às ruas.

Doutor em Ecologia e Evolução, o professor Thiago Rangel, da Universidade Federal de Goiás (UFG), se juntou aos colegas de UFG José Alexandre Felizola Diniz Filho e Cristiana Maria Toscano Soares para criar projeções de cenários da evolução dos casos e aumento do número de óbitos causados pela Covid-19 no Estado. Até aqui, o pior cenário apresentado nos estudos dos três cientistas tem se confirmado a cada crescimento de pessoas que testaram positivo para o novo coronavírus e a subida da curva de vítimas da doença.

Mas, de repente, começaram a colocar a culpa de tudo nas costas do Rangel. Ou ao menos tentaram nas redes sociais. O pesquisador, que não tem contas em sites como Facebook, Twitter e Instagram, soube por amigos das críticas e memes com seu nome e foto. “Quando chegam para mim através dos meus amigos, acabamos até por dar muita risada. Os ataques são muito infantis. Não são acompanhados de argumentos ou críticas construtivas. Ninguém mostra onde estamos errados.”

Clique aqui e veja a entrevista

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias