Esporte

quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Pecuária 4.0: inteligência artificial auxilia na produtividade de pastagens em Goiás

 

*Por Luciano Almeida

O Estado de Goiás concentra o segundo maior rebanho bovino do país, com 10,6% do total de animais, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As cerca de 22,9 milhões de cabeças de gado contribuem para grande parte do valor da produção regional. Para manter o volume e a importância econômica dessas criações – gerando empregos, produtos de alta qualidade e sustentabilidade – o uso de tecnologias tem se tornado cada vez mais essencial. Nesse sentido, a inteligência artificial tem despontado como uma importante aliada do produtor.

O mercado goiano está recebendo, a partir deste mês, a tecnologia mais moderna do mundo para o manejo fitossanitário aéreo de pastagens para pecuária. Três aeronaves foram equipadas com um dispositivo que captura imagens de altíssima precisão, a uma resolução de 0,3 mm/pixel, podendo percorrer até 5 mil hectares por dia, em velocidade de 200 km/h. Essas imagens são potentes ao ponto de, em apenas um sobrevoo, identificar problemas do topo das plantas até o nível do solo.

Esse projeto, batizado de FlyUP, será posto em prática de forma exclusiva pela UPL, uma das cinco maiores empresas de soluções agrícolas do mundo, que também tem se focado em inovações digitais que beneficiem o universo da chamada Pecuária 4.0. A ação é um dos pilares do investimento de US$ 200 milhões que a empresa de origem indiana fará no Brasil pelos próximos anos, visando contribuir para o desenvolvimento constante e as altas produtividades no agronegócio nacional.

A partir do sobrevoo equipado com o dispositivo de inteligência artificial, os produtores receberão informações e insights sobre a cultura de forma imediata, identificando os primeiros sinais do surgimento de plantas daninhas, doenças fúngicas e até deficiências nutricionais, tendo em vista que esses são problemas constante em pastagens de todo o país, garantindo o sucesso da mais importante cultura animal do Brasil, que é a criação de gado para a produção de carne e de leite.

O impacto das pragas e doenças nas pastagens é elevado, tendo em vista o alto investimento feito pelos agricultores no combate a esses problemas. Apenas no primeiro semestre deste ano, 13,6 milhões de hectares de pastos foram tratados com defensivos agrícolas. Com isso, US$ 60 milhões foram aplicados nessas soluções, evitando deficiências na alimentação dos rebanhos – algo que poderia elevar o preço da carne e do leite ao consumidor. Os dados são do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg).

O projeto FlyUP é a evolução de projetos de mapeamento de cultivos. Com análises dinâmicas, ágeis e precisas (validadas sempre por um pesquisador científico), o detalhamento dos problemas fitossanitários e o gerenciamento das informações em tempo real permitem tomadas de decisão mais rápidas e assertivas, visando a racionalização e a solução dos problemas a partir do uso de defensivos agrícolas com sustentabilidade econômica e ambiental.

Com base no voo e no cruzamento de informações especializadas, a inteligência artificial oferece altíssima precisão e emite relatórios sobre as condições do campo, indicando o tipo de ameaça, bem como a espécie e a infestação, além de elementos que auxiliam na escolha do tratamento mais adequado. Essa tecnologia exclusiva faz parte da essência da UPL através do conceito OpenAg – uma empresa aberta à agricultura inovadora. Sem limites, sem fronteiras.

*O autor







Luciano Almeida, engenheiro agrônomo, especialista em gestão empresarial e supervisor de marketing para cana e pastagem da UPL Brasil

Nenhum comentário: