Esporte

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Pecuária - Atenção à mastite, que pode reduzir a produção de leite em até 40% para o produtor

Doença é a que mais prejuízos causa à pecuária leiteira.

Recomenda-se manejo preventivo eficaz e uso de produtos à base de princípios ativos modernos e de descarte zero.

A mastite é uma inflamação da glândula mamária das vacas. Com isso, o leite é descartado até que o problema seja resolvido. Trata-se da doença que mais causa prejuízos financeiros na pecuária leiteira. De acordo com Antonio Coutinho, gerente de produtos de animais de produção da Vetoquinol Saúde Animal, a vaca com mastite pode representar perda média de 3 quilos e meio de leite por dia, além dos gastos com o tratamento. Ele recomenda que os produtores priorizem  medicamentos com princípios ativos eficazes, como Ceftiofur, um potente bactericida. "Se estamos falando de uma vaca de média a alta produtividade, o prejuízo diário pode chegar a R$ 50,00/vaca/dia, que representa 30% a mais do que o custo de uma dose de Ceftiofur. Ou seja, vaca tratada com rápido retorno à ordenha é lucro certo para os produtores", destaca Coutinho.

A mastite pode ser clínica (quando é possível detectar visualmente), envolvendo inflamação do úbere, além de alterações visíveis no leite, como diminuição do volume. Os animais também podem apresentar febre e falta de apetite. A mastite também pode ser subclínica, não apresentando sinais clínicos. Nesse estágio, ela é mais perigosa, exatamente devido à ausência de sintomas, causando queda de produção e aumento do número de células somáticas. Normalmente, os produtores demoram a notar sua presença porque não há inflamação ou alterações visíveis no leite. O diagnóstico é possível apenas por meio do teste California Mastitis Test (CMT).

"É possível diminuir a incidência da mastite no rebanho leiteiro com cuidados preventivos. É preciso ter manejo de qualidade, tratando os animais com muita calma para que eles não fiquem estressados, manter a cama limpa e seca, execução correta dos protocolos necessários, mão de obra qualificada e equipe bem treinada, ronda sanitária e realização de pré e pós dipping (imersão pré e pós ordenha)", informa Antonio Coutinho.

Com amplo portfólio, a Vetoquinol Saúde Animal, uma das 10 maiores empresas de saúde animal do mundo, criou o Programa Vetoquinol Resolve, movimento em prol da produtividade da pecuária de leite e de corte no Brasil, e que inclui soluções de Descarte Zero. Dois produtos destacam-se para a elaboração de um eficaz Protocolo de Mastite, com a vantagem do descarte zero do leite: Acura, antimicrobiano para o tratamento das infecções das vacas em lactação, e Tolfedine CS, adjuvante no tratamento de mastite aguda.

Antonio Coutinho explica que Acura age diretamente em mastites causadas por bactérias sensíveis ao princípio ativo ceftiofur, fazendo com que as vacas infectadas retornem rapidamente à produção, evitando prejuízos. A Embrapa estima que a mastite reduz a produção em até 40%. "Trata-se de um antibiótico extremamente importante na atividade leiteira, com princípio ativo moderno e muito eficiente, inclusive para casos em que há resistência às penicilinas. Além disso, tem validade de quatro anos, tratamento em dose única, descarte zero no leite e maior praticidade no manejo. É um produto importante para estar na farmácia da fazenda".

Nenhum comentário: