Esporte

sexta-feira, 28 de agosto de 2020

Segundo pesquisa do DataFolha, 74% dos jovens estão mais tristes e ansiosos durante a pandemia

Foto: VivaABC

Psicóloga Ana Gabriela Andriani explica que o prolongamento do isolamento social afeta diretamente a saúde mental dos jovens e adolescentes

A terceira fase da pesquisa “Educação não Presencial na Perspectiva dos Estudantes e suas Famílias” realizada pelo DataFolha aponta que de junho para julho 74% dos jovens estão mais tristes, ansiosos ou irritados. 

Segundos a psicóloga Ana Gabriela Andriani, doutora pela UNICAMP-SP, “o isolamento social afetou drasticamente a saúde mental dos jovens. A falta de convívio com os amigos, fez com que eles migrassem mais ainda para o mundo virtual e isso acabou afetando até pessoas mais equilibradas”. 

O estudo foi feito com cerca de 1.056 crianças e jovens que estudam em escolas públicas. Ainda segundo o DataFolha, os 74% fazem jus a seguinte porcentagem: de junho para julho, os irritados passaram de 45% para 48% e os tristes de 58% para 67%.

“Alunos da rede pública não recebem a mesma qualidade de ensino que os de rede privada. Logo, essa falta de auxílio nos estudos, juntando com a falta de liberdade, causa maior irritabilidade e chateação. Por isso o índice está tão alto”, destaca a psicóloga.

Além disso, a pesquisa ainda mostra que 51% dos jovens não se sentem motivados e isso resulta em 67% deles que não conseguem manter uma rotina. “É importante lembrar que adolescentes são mais frágeis emocionalmente e essa quarentena está trazendo fadiga mental para muitas pessoas”, comenta Ana Gabriela Andriani. 

Vale lembrar também que, grande parte da tristeza que os jovens estão sentindo se dá pela falta de perspectiva no futuro e pelas frustrações que eles carregam.

Porém, vale destacar que essa condição psicológica não é exclusiva de jovens da rede pública. “Atendo pacientes que estudam em colégios particulares que estão com as mesmas dificuldades. É preciso que essas pessoas procurem um bom profissional que os ajudarão a entender essa tristeza e sair dessa condição”, finaliza a psicóloga. 

Sobre Dra. Ana Gabriela Andriani 

A Dra. Ana Gabriela Andriani é graduada em Psicologia pela PUC-SP e Mestre e Doutora pela UNICAMP, além disso é pós-graduada em Terapia de Casal/Família pelo The Family Institute, Northwestern University - Evanston, IL (USA). 

Ela também tem especialização em Psicoterapia Dinâmica Breve pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas/USP e aprimoramento Clínico em Fenomenologia Existencial na Clínica Psicológica da PUC-SP. 

Mais informações: https://anagabrielaandriani.com.br/

Nenhum comentário: