Esporte

terça-feira, 25 de agosto de 2020

Nova gasolina chega aos postos e fica mais cara

Combustível segue padrões europeus e promete render até 6% mais

Desde o início do mês, a nova gasolina já pode ser encontrada em alguns postos do País. O combustível segue novas especificações, que o deixa mais parecido com o que é comercializado na Europa. Para especialistas, a qualidade é maior, o que diminui o consumo por quilômetro rodado.

No entanto, isso pode pesar mais no bolso do brasileiro. De acordo com o governo, ela custará, em média, R$0,06 a mais, um aumento de 1,5% em comparação com os preços médios atuais.

Segundo simulação feita pelo UOL com um Onix Hatch, um carro 1.0 roda hoje 335km na cidade com R$100. Com o novo combustível, rodaria 349,9km. Isso não representa um aumento significativo de quilômetros rodados, levando em consideração o acréscimo no valor pago.

O que significa dizer que a gasolina é “nova”?

A nova gasolina é aquela que está dentro de padrões considerados ideias para o combustível, pensando no melhor desempenho e performance do veículo. Hoje, no Brasil, não há um padrão pré-estabelecido para a composição da gasolina, e essa é uma das causas da variação de preços de um posto para outro.

A gasolina passará por 3 mudanças: densidade, octanagem e temperatura. O padrão para densidade passou a ser de 715 kg/m³, ou seja, cada litro de gasolina deve pesar pelo menos 715 gramas. A octanagem (resistência do produto à combustão) foi estabelecida em 92, no mínimo. Já a temperatura de destilação precisa ser igual ou maior que 77ºC para a gasolina comum.

A maior parte do combustível produzido por aqui já segue essas especificações. Pelo menos é o que alega a Petrobrás, responsável por cerca de 90% da gasolina vendida no Brasil.

As refinarias terão 60 dias para se adaptar e os postos, 90 - a contar a partir do dia 3 de agosto - para terminar com o estoque de gasolinas fora do padrão e passar a comercializar a nova. 

Nenhum comentário: