quarta-feira, 22 de julho de 2020

Coronavírus pode ficar ativo por 4 dias na superfície dos carros

Foto: Divulgação
Recentes dados divulgado pela FioCruz apontam o "tempo de contaminação" do vírus em diferentes superfícies. Higienização de automóveis devem ser feitas com frequência.

Recentes dados divulgados pela FioCruz, fundação vinculada ao Ministério da Saúde que promove o desenvolvimento social e sanitário, aponta o tempo em que o vírus COVID-19 pode ficar ativo, ou seja, transmissível, em diferentes tipos de superfície.


Os dados foram extraídos de uma pesquisa publicada no New England Journal of Medicine e revelam que, após as partículas serem liberada pela saliva, em um espirro por exemplo, o vírus podem ficar “soltos no ar” entre 40 minutos e duas horas e meia.

Ao entrar em contato com alguns tipos de superfícies, os vírus podem continuar viáveis até por dias. Em superfícies feitas de aço inoxidável, como pias e balcões, ou plásticos, comuns em mesas e cadeiras, a sobrevida é de 72 horas. Em papelão, esse tempo cai para 24 horas e enquanto que no cobre esse tempo se reduz para 4 horas.

É claro que, com o passar do tempo, a “quantidade” de vírus ativos vai diminuindo, porém é de extrema importância a higienização constante de superfícies, com álcool, desinfetantes e sabão, principalmente aquelas que ficam expostas ao maior contato de pessoas.

Um exemplo pouco tratado mas que devem ter uma atenção redobrada são os automovéis. Muitas vezes nos preocupamos apenas em higienizar ambientes internos e manter mão e bocas protegidas, e esquecemos que nosso automóvel pode sim ter sua superfície infectada.

Segundo Felipe Henrique Feltrin Boell, CEO da WOW Carro Limpo em 3 Minutos, franqueadora de car wash de Curitiba, "a pandemia nos mostra é que a limpeza do carro não é apenas uma questão estética. Manter o carro limpo e higienizado é uma das formas mais eficazes de se impedir a proliferação do vírus".

Fonte: Wow

Nenhum comentário: