Esporte

segunda-feira, 15 de junho de 2020

Presidente da Goiás Turismo aponta possíveis saídas para crise do segmento

Fabrício Amaral, presidente da Goiás Turismo
/ Foto: Fábio Costa/Jornal Opção
Fabrício Amaral vê grandes perdas para o setor do Turismo goiano, mas também soluções para amenizar os prejuízos






Por Ton Paulo 
Se tem algo que facilita e viabiliza a circulação do coronavírus, causador da Covid-19, é a circulação de pessoas (daí a essencialidade do isolamento social). Nesse cenário, o turismo é uma das áreas, senão “a”, mais afetadas pela pandemia. O Estado de Goiás tem sofrido grandes perdas no setor, mas o titular da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, garante apoio para aqueles que estão sendo mais prejudicados pelas paralisações.

Em um programa da Agência Brasil Central (ABC) na última sexta-feira (12/6), o presidente da Goiás Turismo falou do cancelamento da tradicional Temporada do Araguaia nos municípios que margeiam o rio, de medidas de amparo às comunidades mais pobres que vivem do turismo do Araguaia e da situação geral do turismo no estado, destacando cidades como Caldas Novas, Pirenópolis e Alto Paraíso, na Chapada dos Veadeiros.

Conforme ele, liberar a Temporada do Araguaia tornou-se uma alternativa inviável, uma vez que a região é muito precária em termos de saúde pública “e o Estado não conseguiria atender, pois o volume de pessoas é muito grande”.

Para amenizar os efeitos econômicos sofridos pelas famílias que dependem do turismo na região do Araguaia, Fabrício Amaral informou que o governo de Goiás vai disponibilizar a partir da próxima semana uma linha de crédito subsidiada, com juros baixos (5% ao ano) e carência de 12 meses para começar a pagar.

Além disso, há uma proposta em estudo com o Ministério Público do Trabalho para estimular que as pessoas se qualifiquem durante a pandemia, mas recebendo por isso. “Temos R$ 24 milhões do Ministério do Turismo para isso, para ajudar exclusivamente o empresário do turismo goiano, contando com apoio da Goiás Fomento”, informou.

Retomada das atividades

Fabrício Amaral também falou sobre os destinos turísticos mais consolidados no Estado, como as cidades de Pirenópolis, Caldas Novas, Vila Boa e Alto Paraíso, o presidente da Goiás Turismo é mais otimista. Na avaliação do presidente, essas cidades retomarão suas atividades antes mesmo do conjunto do setor, em função de seu nível de organização e apoio das respectivas prefeituras.

“Esses municípios, junto com os empresários, possuem um plano focado em todas as rotinas de saúde, com controle de entrada e saída de pessoas e cargas e, sobretudo, porque têm também estruturas melhores de saúde pública”, disse Amaral.

Nenhum comentário: