Esporte

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Sobre PL 63 Creso confirma voto contrário à venda de terreno no Distrito Agroindustrial de Jataí

Contradizendo o que foi publicado o JN esclarece:
Projeto enviado pelo Executivo foi aprovado em segunda votação por maioria dos votos e não por unanimidade como foi publicado.

Esclarecendo um ponto importante no PL 63 enviado pelo Executivo Municipal que trata da venda de um lote de 24 mil metros quadrados a Companhia Nutrien o Jataí News informa que apenas na primeira votação houve sim aprovação por unanimidade do projeto, porém já na segunda votação no último dia 10, segunda-feira, essa unanimidade não prevaleceu, ficando assim aprovado pela maioria, tendo apenas um voto contrário, do vereador Creso Vilela.

Creso Vilela foi o autor do pedido de vista ao projeto quando da sua entrada na Câmara Municipal de Jataí, projeto esse enviado pelo Executivo Municipal que na altura solicitava a autorização para que a referida área pudesse ser vendida à companhia Nutrien. 

Palavra do vereador

| "Não votei contra a venda da área, votei contra vender a área de 
| qualquer jeito. Pedi apenas que se colocasse uma cláusula de 
| reversibilidade."

Segundo o Executivo a companhia vai gerar 50 novos postos de trabalho com a instalação de uma unidade misturadora aqui em Jataí.

Para o vereador Creso Vilela, ele entende que mesmo com toda a legalidade do projeto o caminho poderia ter sido diferente, já que a empresa optou por comprar uma área por que não comprar em outro lugar não tendo a necessidade de adquirir um terreno que é público. Em suas palavras Creso citou a frase, "a prefeitura não é imobiliária para vender terreno".

Sendo coerente com seu discurso Creso votou contra o projeto. Desta maneira não houve unanimidade na segunda votação, mas sim por maioria dos votos o que aprovou o projeto.

Nenhum comentário: