Esporte

sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Por recomendação do TCE, Governo de Goiás não realizará festa de réveillon

Em despacho, o TCE destaca a necessidade de a Agência Goiana de Turismo (Goiás Turismo) suspender a realização de novos shows. Foto: Divulgação/Goiás Turismo
Um dos fatores para tal sugestão é devido a uma investigação junto ao Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) quanto a shows que não teriam sido realizados

Por Lívia Barbosa 
Pagamento de dívidas, recuperação da malha viária, retomada de obras, quitação da folha e outros investimentos são prioridades do governo 

Seguindo recomendação do Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE), o governo de Goiás não irá realizar festejos na virada de ano. A decisão também se justifica em razão da contenção de gastos prevista no artigo 3º, inciso X do decreto governamental nº. 9376/2019.

Em despacho, o TCE destaca a necessidade de a Agência Goiana de Turismo (Goiás Turismo) suspender a realização de novos shows, “bem como a descentralização de recursos financeiros mediante convênio para o mesmo fim, a partir da publicação desta decisão, até a conclusão e deliberação acerca da auditoria especial”.

Outro fator a ser considerado é o fato de estar em curso uma investigação junto ao Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) quanto a shows que não teriam sido realizados contrariando a instrução processual, a qual atesta que o objeto tenha sido executado e encontra aguardando pagamento.

Por conta de todos esses fatores, a Goiás Turismo informa que está apoiando eventos com muita cautela, inclusive com prévia autorização do Comitê Gestor de gastos (artigo 5º, §2º, II, do Decreto nº.9376/2019), além de  cumprir a orientação do TCE, até relatório conclusivo da auditoria em andamento e finalização das investigações do MP-GO.

Em função da grave crise fiscal enfrentada em 2019, a prioridade da gestão estadual é o pagamento de dívidas herdadas de gestões anteriores, recuperação da malha viária estadual, retomada de obras paradas, quitação da folha dos servidores estaduais e outros investimentos.

Nenhum comentário: