sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Polícia Federal indicia Lula pelo recebimento de propina disfarçada de doação

Foto: Divulgação/Internet
“As evidências mostraram que os recursos transferidos pela Odebrecht sob a rubrica de ‘doações’ foram abatidos de uma espécie de conta-corrente informal de propinas”, diz PF

Por Felipe Cardoso 
Após a conclusão de um inquérito decorrente da Operação Lava Jato, a Polícia Federal (PF) indiciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e outros três por doações feitas pela empreiteira Odebrecht ao Instituto Lula.

As autoridades acreditam que a transferência de recursos assinados como “doações” teriam sido abatidas de uma conta corrente informal de propinas. O inquérito policial aponta para o recebimento de R$ 4 milhões de empreiteira ao Instituto Lula.

Além de Lula, foram indiciados pela Polícia Federal o ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e o presidente do Instituto, Paulo Okamotto.

O relatório aponta que o dinheiro foi repassado ao Instituto quando o petista já não ocupava a presidência e acabou saindo da chamada “Planila Italiano”. Conforme detalhado pela Revista Veja, esta seria uma espécie de conta-corrente de propinas. Foram apontados o repasse de R$ 4 milhões que, no entendimento das autoridades, nada mais é do que o pagamento de propina disfarçada de doação.

“As evidências mostraram que os recursos transferidos pela Odebrecht sob a rubrica de ‘doações’ foram abatidos de uma espécie de conta-corrente informal de propinas mantida junto à construtora, da mesma forma ocorrida com aqueles destinados à aquisição do imóvel para o Instituto Lula. Surgem, então, robustos indícios da origem ilícita dos recursos e, via de consequência, da prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, considerando o pagamento de vantagem indevida a agente público em razão do cargo por ele anteriormente ocupado”, diz trecho do relatório de indiciamento divulgado pela revista Veja.

O petista é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro juntamente com os demais envolvidos. Ao presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht, foram atribuídos os crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Vale lembrar que Lula já é réu em outro processo que apura o recebimento de R$ 12,9 milhões em propina da mesma empreiteira. Além disso. Lula também foi condenado nas ações do sítio de Atibaia, em São Paulo, e no caso do triplex do Guarujá.

Nenhum comentário: