Esporte

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Marconi se diz vítima de perseguição

Ex-governador acrescenta ainda que ação contra ele se trata de “constrangimento”
O Ministério Público de Goiás pediu condenação por improbidade administrativa e bloqueio de R$ 1 bilhão

Eduardo Pinheiro
O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) respondeu, através de nota, ao pedido de condenação feito contra ele pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO). O órgão o acusa de improbidade administrativa e pediu bloqueio de R$ 1 bilhão. No documento, ele taxa a ação de “claríssimo ato de perseguição e constrangimento”.

Perillo diz ainda que não fez nada de ilegal ou errado. Além de não ter “dinheiro algum em minha conta, em lugar nenhum do mundo”.

Sobre a concessão dos incentivos fiscais, pelos quais é acusado de beneficiar empresas, afirma que elevou o Estado da 6ª para a 2ª posição na produção de etanol, o que gerou dezenas de milhares de empregos. 

Além disso, argumenta que, em seus mandatos, multiplicou o Produto Interno Bruto (PIB) de Goiás em 11 vezes. Marconi Perillo diz ainda que multiplicou por 25 vezes o volume de exportações e transformou a economia goiana em uma das oito mais importantes do Brasil.

“Esta ação de cunho persecutório visa tão somente atender aos interesses daqueles que querem, a qualquer custo, apagar a força do nosso legado da memória dos goianos”, conclui o ex-governador.

Nenhum comentário: