Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Legislativo Jataiense

Câmara Municipal de Jataí

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Muito calor, mananciais em baixa e falta de água

Para evitar racionamento, Governo estadual convoca população a reduzir consumo de água

Por Luiz Phillipe Araújo 
Medições demonstram aumento da demanda hídrica acima da média na região urbana. Governador diz que é possível vencer período sem esquema de rodízio

Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 11, o governador Ronaldo Caiado (DEM) apelou à população goiana com pedido de redução do consumo doméstico de água. Acompanhado da secretária de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis e do presidente da Saneago, Ricardo Soaviski, o governo chamou atenção para o aumento de consumo na última semana, efeito direto do calor intenso.

Durante o diálogo com jornalistas, o governador destacou que no último fim de semana foi necessário acionar duas bombas de captação de água do Rio Meia Ponte. Em condições de normalidade, segundo Caiado, apenas uma bomba seria suficiente.  

Vazão
Segundo o governador, as medições da última semana começaram a sinalizar maior preocupação, chegando à vazão de 1.700 litros por segundo, sendo que desse total, 800 litros já estão sendo retirados do Ribeirão João Leite. Apesar disso, a secretária de Meio Ambiente destaca que o quadro ainda não se enquadra em alerta crítico, quando as medições marcam 1500 litros por segundo durante sete dias.

“O apelo que eu faço é que as pessoas, mesmo sabendo dessa onda de calor, não desperdice água”, afirmou Caiado, ilustrando algumas situações que, segundo ele, resultariam na economia esperada: “Aquele banho de 10 minutos, jogar água no jardim durante o dia, porque evapora tudo, lavar carro com a mangueira aberta. Eu acho que nós temos que ter a consciência de reduzir o nosso consumo”.

Sobre o setor produtivo, o que inclui indústrias e agronegócio, o governador afirmou que o Estado está mantendo contato e diz que por parte dos produtores o consumo estaria sendo respeitado, ficando, portanto, a responsabilidade do aumento para a população da região metropolitana.

Racionamento
A decisão sobre racionamento deve depender da resposta das próximas medições. Haveria, segundo o presidente da Saneago, previsão de normalidade de chuvas já para o fim de setembro, sendo possível excluir a hipótese de esquema de rodízio, já encarado pela região metropolitana em outros anos, quando alguns bairros ficam sem abastecimento por períodos determinados.

JN via Opção

Nenhum comentário: