Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Professores revindicam reajuste salarial e pagamento de auxílio alimentação atrasado

Servidor ressalta que, além das pendências por parte do governo do Estado, descontos de INSS e Ipasgo aumentaram

Por Felipe Cardoso 
A Associação Mobilização dos Professores de Goiás (AMPG) tem buscado —incansavelmente— receber o piso nacional destinado a categoria. Mas esta não é a unica demanda da classe, que se queixa também do não pagamento do auxílio alimentação referente ao mês de fevereiro de 2019.

Segundo o professor Thiago Oliveira, o ajuste é automaticamente realizado todo mês de janeiro. “Dessa vez, até o momento, nada”, lamentou. Ele explicou também que, além do não pagamento dos salários reajustados e da pendência do auxílio alimentação de fevereiro (R$ 500,00), o contra-cheque deste mês aponta para um reajuste — para mais — dos descontos.

“O valor descontado do nosso INSS e Ipasgo aumentou. E isso está acontecendo de forma aleatória. Constam mudanças no contra-cheque de uns e de outros não. No mês passado aconteceu a mesma coisa. Depois de receber nossas reclamações a secretaria tirou os contra-cheques do sistema, e, agora, temos o mesmo problema”, desabafa.

Com o acúmulo recorrente dessas demandas, profissionais da Educação aproveitaram o encontro com a secretária Fátima Gaviolli, na manhã desta segunda-feira, 29, para cobrar os repasses. A resposta dada aos educadores é de que a secretaria irá “pensar em pagar o piso depois de quitar a última parcela referente ao mês de dezembro de 2018”, relatou o professor.

Por fim, Oliveira aproveitou para disparar contra o governo Caiado: “O governador falou que vai instaurar o piso no Estado. Na verdade ele não vai fazer nada além de cumprir com a Lei e seguir reajustando como sempre foi feito. O governo anterior atrasava, mas pagava com o reajuste. Este, nem isso. E ainda querem dar aulas de educação financeira para os professores. Parece piada”, pontuou.

Após a apresentação do balanço da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), o governador falou sobre o reajuste e repasse dos atrasos aos professores: “A comissão já está formada e já estamos avançando. Sou muito cauteloso em marcar datas pois a data de Ronaldo Caiado é uma data que se cumpre”. 

Segundo o governador, já está garantido para o mês de agosto o ticket alimentação que ficou “em decorrência dos atrasos das parcelas de parte do mês de novembro e dezembro” do ano passado.

Fonte: Jornal Opção

Nenhum comentário: