Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Faltam políticas de atração e estímulo em Rio Verde, diz empresário

Presidente da Acirv aponta fornecimento precário de energia 

Por Francisco Costa / Conexão JN Opção
Rio Verde deixou de ser uma das melhores cidades para fazer negócio no País, como revelado pelo Jornal Opção, conforme dados da pesquisa Urban Systems relativos a 2018. Um empresário ligado à cidade e que preferiu não se identificar afirmou que esse interesse esfriou por falta de políticas governamentais nesse sentido desta gestão.

“Por mais que tenha pujança no município, infelizmente não temos conseguido atrair grandes investidores”, revela a fonte ao lembrar que nos anos 2000 houve um boom e grande crescimento com a chegada da Perdigão, que contribuiu, inclusive, na atividade no campo e intensidade de industrialização.

“Mas se perderam ao buscar o crescimento da cidade apenas com esse boom, sem buscar mais companhias. Então o ambiente ficou ruim, sem políticas de atração e sem estímulo a quem está lá”. Sobre isso, ele cita que o governo estadual criou um taxa para empreendimentos que chegam, o que também tem atrapalhado.

Acirv
Ivo Marques de Moraes Junior, presidente da Associação Comercial e Industrial de Rio Verde (Acirv), disse ao Jornal Opção que o município não passou alguns dados para aferir a pesquisa, por problema no sistema. “Isso é o que nos informaram”.

Para ele, Rio Verde não entrou mais uma vez na lista por falta de informação. Porém, a cidade vinha de uma curva decrescente: Em 2016, o município ocupava a 65ª posição e, em 2017, caiu para 82ª. Em 2018, pesquisa mais recente, ela não apareceu no relatório.

Ele afirma que, aparentemente, a cidade não demonstrou queda, inclusive, no fim do ano, a uma indústria de embalagens se instalará na cidade. “Se há crise econômica é a geral, do Brasil, não específica a Rio Verde”.

Enel
Porém, o presidente da Acirv aponta uma variável que poderia, sim, ter prejudicado a cidade: o fornecimento de energia da Enel. “Isso sim pode ter influenciado”.

Segundo Ivo, a deficiência energética impede a ampliação das empresas, além de evitar a instalação de muitas outras. “Postergam investimentos. Muitos empresários não conseguiram ligar os equipamentos. Usam geradores”, exemplificou.

O Jornal Opção entrou em contato com a Enel para que ela se posicionasse sobre essas alegações. A fornecedora de energia diz aguardar a lista das empresas que tiveram problemas para ligar os equipamentos, o que já foi solicitado ao presidente da Acirv pela reportagem.

Da mesma forma, foram solicitados comentários às comunicações da prefeitura de Rio Verde e ao governo do Estado. A matéria será atualizada quando obtivermos retorno.

Nenhum comentário: