Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Esteja em dia com os tributos municipais e participe diretamente de nosso desenvolvimento


sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

"Estado não tem condições de quitar as dívidas referentes aos salários atrasados"

Em reunião com governo, sindicatos rejeitam proposta de parcelamento de salários
Apesar de ter sido encarada como “positiva” pelos participantes, nova reunião foi marcada para dia 17

Por Nathan Sampaio/Opção
O governador Ronaldo Caiado (DEM) se reuniu na tarde desta quinta-feira, 3, com representantes de sindicatos de servidores estaduais, a secretária da Fazenda, Cristiane Alkmin Junqueira Schmidt e deputados estaduais para debater a questão do pagamento dos salários referentes ao mês de dezembro de 2018. Na ocasião, foi apresentada uma proposta de parcelamento da folha, mas as entidades não aceitaram.

O encontro a portas fechadas foi realizado no décimo andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, e durou pouco mais de duas horas. Ao terminar, a primeira a conceder entrevista à imprensa foi a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação em Goiás (Sintego), Bia de Lima.

“Conversamos no sentindo de construir uma saída para a questão orçamentária que o governo apresentou, especialmente das contas públicas, que não estão fechando e incluindo a folha de dezembro, que não foi paga. Esta é a preocupação que apresentaram para nós dos sindicatos”, declarou Bia.

A presidente do Sintego afirmou, ainda, que uma nova reunião será marcada dia 17 para continuar o “diálogo”. “Virá uma missão do governo federal pra analisar as contas do Estado de Goiás e, após isso, teremos uma posição mais positiva pra apresentar pras categorias”, frisou.

Bia também disse que pediu para os deputados presentes na reunião, Álvaro Guimarães, e Karlos Kabral, que é servidor do Poder Judiciário, chamarem uma sessão extraordinária na Assembleia Legislativa de Goiás para tratar da questão.

Já Cristiane, que também falou à imprensa, afirmou que o encontro foi “extremamente bom”. “O que nós mais queríamos era sentar na mesa e trazer o legislativo e os sindicatos para chegarmos a um consenso, pois esse é um problema de todos nós”, explicou.

A secretária da Fazenda afirmou também que o Estado não tem condições de quitar as dívidas referentes aos salários atrasados, mas reafirmou a informação dada por Bia, de que uma equipe do governo Federal deverá vir em breve para ajudar a resolver como “estruturar o pagamentos dos servidores”.

Cristiane completou que, atualmente, a parcela é a melhor forma com que o governo de Goiás pode pagar os salários atrasados. “Por isso estou pedindo auxílio do governo Federal, por que sozinho Goiás não dará conta do recado. A gente precisa resolver o problema e para sair da situação é precisa rever contratos, contestar transparências, benefícios fiscais”, disse concluindo que a prioridade de Goiás é com áreas e serviços que não podem parar.

Apesar de participar da reunião, o governador Ronaldo Caiado não concedeu entrevista.

Salários atrasados

A verba para quitar os salários dos servidores do governo não foi empenhado pela gestão anterior, por isso não há previsão de quando ou como poderá fazer o repasse. Além disso, o ex-governador José Eliton empenhou o valor de R$ 200 milhões apenas referente ao pagamento dos funcionários do poder Legislativo, dos Tribunais de Contas, Defensoria Pública e Ministério Público, que vão receber até o dia 10 de janeiro.
Postar um comentário