Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Termas de Jataí


Mês de Julho, mês de férias
As águas termais de Jataí te faz muito mais feliz!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Vanderlan Cardoso contesta declarações de Paulo Guedes sobre cortes no ‘Sistema S’

Senador eleito afirmou que além de “autoritária”, fala do futuro ministro da Economia foi dada em um momento “inapropriado” e mostra “total desconhecimento” 

Por Nathan Sampaio
Paulo Guedes, o futuro ministro da Economia do governo Bolsonaro, polemizou mais uma vez ao falar de mudanças no governo. Dessa vez, o economista defendeu nesta segunda-feira, 17, no Rio de Janeiro, cortes no chamado ‘Sistema S’, que engloba organizações do sistema produtivo, como Sesi, Senai, Sesc, Sebrae entre outros. Autoridades e políticos comentaram sobre as declarações, entre eles, o senador eleito, Vanderlan Cardoso (PP).

Para Vanderlan, a fala do futuro ministro Paulo Guedes está “equivocada”. “A forma como ele se expressou dá a entender que o Governo Federal sustenta o ‘Sistema S’ e isso não é verdade. Os recursos são oriundos da folha de pagamento das empresas. A Receita Federal gere esse recurso e ainda cobra 3% da verba”, explicou.

O senador eleito aproveitou para reforçar que o ‘Sistema S’ é uma das poucas coisas que funcionam com padrão de excelência no Brasil. E que, com as declarações, Guedes mostrou um total desconhecimento sobre o tema. “Ele deveria buscar conhecer o sistema antes de falar”, completou.

Vanderlan, que também é empresário e ex-prefeito de Senador Candeo, também concordou que Guedes falou sobre o assunto de forma muito “autoritária”, e garantiu que, para mudar ou tirar qualquer coisa do recurso, não é assim com uma simples canetada ou decreto.

“Tem que passar pelo Congresso, pelo Senado. Ele não pode sair dando esse tipo de discurso por aí e apavorando todo mundo. Ele mexe com a vida de milhares de pessoas”, alertou o empresário.

O senador eleito concluiu, ainda, dizendo que a declaração dada pelo futuro ministro de Bolsonaro é “conversa jogada fora em um momento inapropriado” e que “não é dessa forma que ele irá resolver os problemas do Brasil”, pois os recursos do ‘Sistema S’ vem das empresas.

Nenhum comentário: