Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Projeto Sonho de Natal 2018




terça-feira, 13 de novembro de 2018

Aconteceu na Câmara Municipal de Jataí

Câmara entrega o Prêmio Servidor Público Cidadão

Será realizada nesta quarta-feira, dia 14, a partir das 19h30min, no plenário João Justino de Oliveira, uma sessão solene para entrega do Prêmio Servidor Público Cidadão. Por iniciativa do vereador Gildenicio Santos, aprovada por todos os parlamentares, serão homenageados alguns servidores públicos do município, como forma de representar toda a categoria.

Carvalhinho pede recapeamento de ruas do Jardim Goiás II

O vereador Agustinho de Carvalho Filho, o “Carvalhinho”, requereu à administração municipal o recapeamento das ruas 20, 21, 22 e W7, localizadas no Jardim Goiás II. Moradores daquele bairro reclamam do estado em que se encontram as vias citadas. O asfalto, muito degradado, gera vários transtornos aos condutores de veículos.

Marcos Antônio sugere redutor de velocidade no setor Granjeiro

O vereador Marcos Antônio sugeriu à SMT a implantação de um redutor de velocidade na Alameda do Pecuarista, localizada no setor Granjeiro. São diversos os relatos a respeito da falta de prudência dos condutores de veículos ao trafegar por aquele bairro, especialmente na via citada, o que aumenta o risco de acidentes.

Adilson quer roçagem de lotes situados em frente à rodoviária

O vereador Adilson Carvalho reivindicou à Superintendência de Serviços Urbanos a limpeza geral, com roçagem, dos lotes situados em frente ao Terminal Rodoviário de Jataí, na Vila Sofia. Ele lembra que o local é visitado por vários turistas e tornou-se um dos cartões postais da cidade desde sua inauguração.

Carapô cobra esclarecimentos ao secretário de Saúde

O vereador José Carapô voltou a solicitar a convocação do secretário Municipal de Saúde, Paulino Alves dos Santos Filho, para prestar esclarecimentos sobre a situação em que se encontra a saúde pública em Jataí. "São constantes as reclamações da comunidade, em relatos que caracterizam o estado de calamidade do setor", disse ele. "Faltam medicamentos e material hospitalar, como algodão, esparadrapos, seringas, álcool e outros, mais complexos; pacientes aguardam procedimentos cirúrgicos nos corredores e há mortes de recém-nascidos por demora na realização do parto ou imposição de parto normal".
Postar um comentário