Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Projeto Sonho de Natal 2018




terça-feira, 25 de setembro de 2018

Senta que lá vem mais história - Professor Nestório Ribeiro

Professor Nestório de Paula Ribeiro – 80 anos de sua morte

Por DC Mello
Professor Nestório nasceu na cidade mineira de Paracatu, em 28 de setembro de 1872. Era filho de Frankilina de Paula Ribeiro (solteira) e seu pai era membro de família famosa na política, na diplomacia e literatura brasileiras - seu pai não o reconheceu como filho. Transferiu-se para Jataí em janeiro de 1922, vindo de Itumbiara, a convite do Prof. Eleutério de Souza Novaes.

Sua primeira atividade em Jataí foi lecionar no Colégio Novaes. Quando tudo parecia normal, Nestório deixa o Professor Eleutério e foi cuidar da instalação do seu Colégio Paula Ribeiro, que acabara de lhe ser concedida pelo governo do Estado. O novo estabelecimento foi instalado no prédio da Casa da Escola, onde também morava.

Nessa ocasião, resolveu casar-se com Maria de Lurdes França, moça de 19 anos, filha de João José de Oliveira França. Era o seu quarto casamento, agora com 50 anos. O enlace no civil foi feito pelo Juiz de Direito José Bernardino e o casal teve como testemunhas os senhores Manoel Inácio de Mello França e Inácio José de Mello. Assinaram ainda no livro José Soares de Oliveira, José Pereira Rezende, Antônio Miranda de Carvalho, Valeriano Raymundo do Prado, Nestor Garcia de Assis e outros. Essa cerimônia aconteceu em 21 de outubro de 1922.

O escritor e poeta jataiense José Godoy Garcia, já falecido, aprendeu as primeiras letras com o Professor Nestório, assim como tantas outras figuras. O sucesso do Professor Nestório de Paula Ribeiro como jornalista, professor, orador, cidadão sociável, poeta e outros atributos de que era dotado, a tudo isso sobrepôs a fatalidade surgida dentro do seu lar.

Sua esposa o abandonou e se uniu a outro homem que a levou para Mato Grosso. E o que era pior: foi embora depois de ter em mãos a hipoteca do prédio residencial do casal a favor do amante, conforme pedidos insistentes de sua mulher, assinada em 21 de janeiro de 1936.

Depois de 16 anos vivendo na comunidade que o adotou, na manhã do dia 7 de outubro de 1938, a notícia se espalhou rápida e silenciosa: Nestório Ribeiro morreu. Faleceu vítima de cirrose hepática, pela excessiva ingestão de bebida alcoólica. Agora é esperar se os nestorianos, professores, alunos e direção vão lembrar-se dessa data.
Postar um comentário