Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Thermas Jatahy


segunda-feira, 26 de março de 2018

Sou intersexual e o meu corpo funciona perfeitamente

Emily Quinn é uma jovem de 25 anos e, apesar de a sua vagina ter um aspecto completamente normal, o que há no seu interior não é um útero nem ovários, mas sim um par de testículos.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE USA.

Emily Quinn é uma rapariga de 25 anos que trabalha como animadora no Cartoon Network e é intersexual: apesar de a sua vagina ter um aspecto completamente normal, o que há no seu interior não é um útero nem ovários, mas sim um par de testículos.

Tal como acontece na bandeira do arco-íris, ser intersexual implica muitas tonalidades. Esta palavra é usada para denominar pessoas com traços sexuais diferentes, sejam alterações nos genes, nos cromossomas, nos genitais, no pêlo corporal, ou nos órgãos reprodutores. Quinn, cujo organismo não responde à testosterona que produzem os seus testículos, porque estes a convertem em estrogénio, acredita que o seu caso representa um em cada 20 mil nascimentos. Estima-se que nos EUA, uma em cada duas mil pessoas seja intersexual.

São muitos os intersexuais que, envergonhados com a sua condição, mantêm esta situação em segredo. O mais comum é que as crianças que nascem assim sejam "arranjadas", sem que elas próprias possam decidir. Por isso, ainda não foi possível investigar os efeitos da intersexualidade a longo prazo, embora se saiba que, habitualmente, sofrem transtornos hormonais importantes e que perduram no tempo.
Postar um comentário