Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Thermas Jatahy


segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Energia elétrica - Com crise ou sem crise o brasileiro amarga a cobrança de duas bandeiras ao mesmo (JN)

A tempos as duas bandeiras
já vem sendo cobradas (JN)
Baixa vazão de hidrelétricas deixa conta de luz mais cara em outubro

Por Larissa Quixabeira/Opção
Aneel mudou bandeira de cobrança para vermelha patamar 2, com uma taxa de R$ 3,50 a cada kWh consumido

Com o início do mês de outubro, a conta de luz ficará mais cara. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mudou a bandeira tarifária das contas de luz, que passou a ser a vermelha patamar 2. A tarifa é a mais cara do modelo e representa a cobrança de taxa extra de R$ 3,50 a cada 100 Quilowatt-hora (kWh) consumidos.

Em setembro, a bandeira tarifária das contas de luz foi a amarela, com taxa extra de R$ 2 para cada 100 kWh de energia consumidos. A tarifa extra mais alta a partir deste mês se deve à necessidade de operar mais usinas térmicas, cujo custo de produção da energia é mais alto que a da produzida nas hidrelétricas. A mudança foi anunciada pela Aneel na última sexta-feira, 29.

É a primeira vez que o patamar 2 é acionado, desde que a bandeira vermelha passou a contar com duas graduações, em janeiro de 2016. A decisão foi tomada devido à baixa vazão das hidrelétricas, porque as chuvas em setembro ficaram abaixo da média. Segundo o relatório do Programa Mensal de Operação (PMO) do Operador Nacional do Sistema (ONS), a situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas alcançou níveis preocupantes.

A agência reguladora aponta que ainda não há risco de desabastecimento de energia, mas alerta para a importância de os consumidores intensificarem o uso consciente e combater o desperdício de energia elétrica.
Postar um comentário