Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Termas de Jataí


Mês de Julho, mês de férias
As águas termais de Jataí te faz muito mais feliz!

sábado, 16 de julho de 2016

Maguito Vilela assegura que não disputará mais eleições: “Agora é a vez de Daniel”

Prefeito de Aparecida de Goiânia afirma que quer que Daniel construa seu espaço e que agora fica nos bastidores

Por Amanda Damasceno/Opção
O prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (PMDB), defendeu nesta sexta-feira (15/7) sua aposentadoria política ao término deste mandato. Segundo o peemedebista, não há nenhuma dúvida dessa decisão que foi tomada para que o filho, o deputado federal Daniel Vilela (PMDB), tenha a oportunidade de construir seu próprio espaço.

“Eu não estou deixando a política porque quero deixar ou porque não tenho motivação, estou deixando porque tenho um filho que é político e eu não quero misturar as coisas. Dois da mesma família disputando, às vezes, cargos parecidos acaba atrapalhando e eu não quero atrapalhar. Quero que agora ele construa a vida pública dele e eu vou ficar nos bastidores”, explicou.

Em seguida, afirmou que a única possibilidade de concorrer em 2018 é se Daniel Vilela [PMDB] não quiser disputar nenhum cargo. “Ou ele ou eu vamos disputar as eleições, mas como ele é jovem, cheio de ideais e com toda a motivação, ele é a bola da vez”.

Quanto à possibilidade de um movimento “Volta Maguito” a exemplo do que ocorreu com Iris, ele defende que isso não vai ocorrer, porque a população vai entender seus motivos. Para ele, isso ocorreu com o ex-prefeito de Goiânia porque ele liderava todas as pesquisas e é um líder que já foi testado e aprovado.

Fica Iris

Durante mobilização que pedia que Iris Rezende reconsiderasse a aposentadoria política ocorrida nesta sexta-feira, Maguito afirmou que a construção de outra candidatura do PMDB para a prefeitura de Goiânia seria muito difícil a esta altura.

Para o prefeito de Aparecida, Iris seria o melhor nome para a prefeitura de Goiânia por sua experiência, história e competência tanto administrativa quanto política, que seria muito desejada no atual momento do país. A visão seria compartilhada por todo o PMDB. “Na verdade, o partido é 100% Iris e sempre foi.”

Com a decisão do decano de não ser mais candidato, Maguito afirmou que o partido deve conversar com os nomes disponíveis. “Se não construir outro nome, ou não tiver ninguém disposto, o partido pode e deve apoiar candidato de outro partido. Se a gente não tem candidato ideal, mas o PT, o PSDB, o PTB, o PSC tiverem, por que não apoiá-los?”, questionou.

Nenhum comentário: