Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Prefeitura trabalhando

Cuidar do meio ambiente
Esse é o foco

Conectada com o Futuro

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Nova indústria em Jataí vai investir 500 milhões de reais na sua implantação

Prefeito Vinícius Luz assina protocolo de intenção da Jataí Agroindustrial dando sequência ao plano de industrialização

Nesta terça-feira (18), o prefeito Vinícius Luz junto ao Governador Ronaldo Caiado, assinaram um protocolo de intenções para a instalação de mais uma indústria em Jataí, sendo o maior incentivo fiscal assinado pelo atual governo em uma área de 480 mil m² às margens da BR-060 doada pela Prefeitura de Jataí à VMG Bioenergia e Agronegócios, com investimentos de mais de quinhentos milhões de reais e geração de aproximadamente 200 novos empregos diretos e 300 indiretos. Até o momento, na gestão do Prefeito Vinícius Luz, já temos 800 milhões de investimentos. O Governo de Goiás apoiará a implantação da empresa com incentivos fiscais.

Em sua fala, o prefeito ressaltou, “É importante destacar o empreendedorismo do Sr. Valter Giacomini que tem acreditado no potencial da nossa cidade. Agradeço ao Secretário de Indústria e Comércio de Góias, Wilder Morais pelo apoio”.

Estiveram prestigiando o evento o nosso Secretário de Desenvolvimento Econômico Sebastião Modesto, o Diretor de Indústria e Comércio Jocemar Garcia, a Presidente da Câmara Municipal de Jataí, Vereadora Kátia Carvalho, os Vereadores Pastor Luiz Carlos, Carvalhinho, Major Davi e Cida e o Deputado Zé Carapô.

Aconteceu na Câmara Municipal de Jataí

Divulgação / Terminal Rodoviário de Jataí
Adilson quer reforma do centro comunitário do assentamento Santa Rita

O vereador Adilson Carvalho reivindicou à administração municipal a reforma da sede do núcleo (centro comunitário) do assentamento rural Santa Rita. Os moradores ressentem-se da falta de um local adequado para a realização das reuniões com a presença de todos os assentados, um edifício que possibilitaria que cursos e palestras sobre melhoramentos na agricultura e na pecuária fossem ministrados, além de sediar os encontros dominicais.

Kátia pede patrolamento e cascalhamento de estrada da zona rural

A vereadora Kátia Carvalho solicitou ao executivo o patrolamento e o cascalhamento da estrada que liga a BR-060 à Agrovila Rio Paraíso (Coparpa). O trecho mais crítico, da subida da ponte do rio Paraíso ao assentamento Água Bonita, é usado para transportar alunos para o projeto Rio Paraíso III e pelos produtores rurais da região, que escoam sua produção agrícola e leiteira.

Cida quer mais proteção para agentes de saúde

A vereadora Maria Aparecida, a “Cida”, pediu à Secretaria Municipal de Saúde a entrega de equipamentos de proteção individual para os agentes de endemias e para os agentes comunitários de saúde. “Esses servidores estão expostos diariamente a vários riscos a sua saúde e integridade física, em razão de suas atividades”, justificou a parlamentar.

Thiago solicita abertura de rua na Vila Sofia

O vereador Thiago Maggioni sugeriu à prefeitura a abertura da Rua 1, na Vila Sofia. O objetivo é melhorar o trânsito naquele bairro, pois se trata de uma via considerada estratégica. A medida colaboraria na redução do índice de acidentes na confluência da Rua 6 com a Avenida B.

Grafite

Os artigos decorativos para deixar seu arraiá bão dimais já chegaram na Grafite.

E pra ficar mió tem promoção! Vestidos juninos a partir de R$ 39,90. Aproveite.
#grafite #grafitecultural #festajunina#festajuninadecoracao #vestidos #vestidosjuninos

Promoção válida enquanto durar o estoque.

Com Rubens FloriOnllin CurtaTania Flori e outras 13 pessoas.

Maguito Vilela tem o aval de Iris em pré candidatura a prefeito de Goiânia

A eleição à prefeitura da capital do estado começa a tomar forma

Devem disputar o páreo o ex governador e ex prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela, bancado pelo prefeito Iris Rezende que tem reiterado não entrar na disputa; o deputado Federal Francisco Jr., de forma independente; Elias Vaz, com apoio de grupo de vereadores e também Wilder Morais, bancado pelo governador Ronaldo Caiado. 

Correm por fora o deputado Major Araújo, a vereadora Dra. Cristina e pequenos partidos também prometem lançar candidato.

Fonte Pequi News

Águas termais em Jataí a 40 graus

Juninão do Thermas Jatahy: o arraial das águas quentes

Sábado (22), a partir das 15h, o Thermas Jatahy vai se transformar em um verdadeiro arraial das águas quentes. Os turistas e a comunidade jataiense terão todas as delícias e atrações para curtirem com muita alegria e diversão um final de semana diferente e acolhedor.

Venha se divertir no calor das nossas águas!

Senado derruba decreto de Bolsonaro que flexibiliza acesso a armas de fogo

Por 47 votos a 28, senadores aprovaram Projeto de Decreto Legislativo para sustar os efeitos da flexibilização

Por Agência Brasil 
O plenário do Senado aprovou na última terça-feira, 18, a revogação do decreto do presidente Jair Bolsonaro que flexibilizou o acesso da população a compra e posse de armas no Brasil. Por 47 votos a 28, os senadores aprovaram um Projeto de Decreto Legislativo (PDC), do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e de outros senadores, que susta os efeitos da flexibilização. A matéria segue agora para análise na Câmara dos Deputados. A maioria dos senadores argumentou que a alteração das regras para o acesso às armas por meio de decreto era inconstitucional e deveria ser feita por projeto de lei.

Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa rejeitou por 15 votos a 9 o relatório do senador Marcos do Val (Cidadania-ES), que era favorável ao decreto presidencial. Após a decisão da comissão, senadores teriam recebidos ameaças e ofensas após se posicionaremo contra o decreto.

Ao proclamar o resultado, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que a Casa deu uma demonstração de maturidade política e grandeza no episódio e se solidarizou com os senadores que receberam ameaças “por exercerem o direito de se manifestar” em torno dessa matéria.

“Como presidente sempre farei a defesa desse Poder. Esta é uma oportunidade onde o Senado mostra a sua grandeza. Onde homens e mulheres enfrentaram um debate que eu não sei se foi feito por robôs ou por pessoas”, disse.

Antes da votação da matéria, Alcolumbre disse que determinou à Polícia Legislativa a abertura de investigação sobre as ameaças. O presidente do Senado disponibilizou escolta policial para parlamentares alvos dos ataques.

Debate entre senadores
Entre as medidas previstas no decreto, assinado em maio pelo presidente da República, estão a concessão do porte a 20 categorias profissionais; o aumento de 50 para 5 mil o número de munições que o proprietário de arma de fogo pode comprar anualmente; a permissão para o proprietário rural com posse de arma de fogo utilizar a arma em todo o perímetro da propriedade; a quebra do monopólio da importação de armas no Brasil; a permissão para colecionadores, atiradores desportivos e caçadores (CACs) poderem ir de casa ao local de tiro com a arma com munição; o direto ao porte de armas para praças das Forças Armadas com 10 anos ou mais de experiência.

De acordo como senador Randolfe Rodrigues, caso as regras fossem aprovadas, cerca de 20 milhões de brasileiros passariam a ter direito à posse e porte de armas. O senador disse que isso seria a institucionalização do “bangue-bangue” no país. “O ‘liberou geral’ de armas, como está nesse decreto, não tem precedente na ordem jurídica mundial, nem em países como os Estados Unidos, em que existe a liberação de armas. Nem nos Estados Unidos, que, desde a independência, tem a cultura das armas, se extrapolou tanto na posse, no porte e na comercialização”, disse.

Também contrário ao decreto, o senador Otto Alencar (PSD-BA) disse que o decreto se opõe ao que determina o Estatuto do Desarmamento. O senador argumentou que, para a aprovação do Estatuto, houve um grande debate tanto no Senado quanto na Câmara dos Deputados. “Esse estatuto [do Desarmamento] foi discutido nas duas Casas por muito tempo. Não há nenhum impedimento para quem queira comprar uma arma hoje, desde que preencha os pré-requisitos estabelecidos pela lei”, disse. 

De acordo com o senador, o presidente deveria ter mandado um projeto de lei ao invés de publicar o decreto. “O presidente da República poderia perfeitamente mandar um projeto alterando o Estatuto do Desarmamento, mas não um decreto. Um decreto com orientação equivocada completamente”, disse. “Mas não é possível que um decreto possa autorizar a compra de 48 cartuchos por dia”.

O relator do decreto na comissão, senador Marcos do Val (Cidadania-ES), argumentou que o decreto não iria aumentar a violência e que as pessoas que tivessem acesso à posse e ao porte de armas não poderiam ser tratadas como criminosos. “Parem de achar que a pessoa armada, o cidadão que segue a lei, que obedece à lei, que teme a lei, vai ser um criminoso. Nós estamos julgando todo brasileiro como um criminoso. Então, se meu pai quiser ter arma hoje, ele é um criminoso? A minha irmã está tirando arma, como eu falei para vocês, ela vai ser uma criminosa?”, disse.

O líder do governo no Senado, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), defendeu o decreto e disse que a medida visava dar maior “concretude” às regras previstas na lei para a posse e porte de armas. “O decreto cuida de dar mais concretude a diversos conceitos e expressões constantes na citada lei, estabelecendo em diversas passagens critérios objetivos e racionais, assim conferindo maior segurança jurídica sobre a matéria. Não houve, portanto, qualquer inovação normativa, mas mera regulamentação, detalhamento do que já consta no estatuto”, disse.

Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro se manifestou sobre a  revogação do decreto pelo Senado em sua conta pessoal no Twitter.

O presidente disse que espera que a “Câmara não siga o Senado, mantendo a validade do nosso Decreto, respeitando o Referendo de 2005 e o legítimo direito à defesa.” Em um segundo tuíte, publicado cerca de uma hora, ele defendeu o direito à legítima defesa.  “O direito à legítima defesa não pode continuar sendo violado! Nem todo mundo possui condição de ter seguranças armados”, escreveu.

Gol vende passagens internacionais a preço de cerveja

Bilhetes serão comercializados a R$ 3,90 durante o jogo do Brasil e Venezuela. 
A promoção é resultado de uma parceria firmada com uma cervejaria

Por Felipe Cardoso 
A companhia Gol Linhas Aéreas firmou uma parceria com uma cervejaria e decidiu comercializar, na noite desta terça-feira, 18, passagens internacionais com valor de uma lata de cerveja: R$ 3,90. Ao todo, mais de 100 passagens para diferentes países da América do Sul serão disponibilizadas no site da empresa.

A promoção deve disponibilizar bilhetes, divididos em ida e volta, para Argentina, Uruguai, Quito, Equador, Peru, Chile, Paraguai e Bolívia. O período de embarque terá início em 3 de outubro e se estenderá até o dia 11 do mesmo mês. O valor da promoção não inclui a cobrança da taxa de embarque.

O liberação para adesão da promoção ocorrerá durante a partida entre as seleções do Brasil e Venezuela marcada para às 21h30 desta terça-feira. Os jogos embalam a disputa pela Copa América.

terça-feira, 18 de junho de 2019

Câmara Municipal de Jataí em ação

Pastor Luiz: videomonitoramento em escolas torna-se obrigatório

A Câmara aprovou projeto do vereador Pastor Luiz Carlos que torna obrigatória a instalação de câmeras de monitoramento de segurança nas dependências e nas cercanias de todas as escolas da rede municipal de Jataí. Cada unidade deverá contar com no mínimo duas câmeras que registrem permanentemente suas áreas de acesso e principais instalações internas. O objetivo é aumentar a segurança para alunos, professores e funcionários, bem como evitar o aliciamento de jovens para o mundo das drogas. O projeto agora aguarda sanção do chefe do executivo.

Carvalhinho sugere faixa elevada para pedestres na Miranda de Carvalho

O vereador Agustinho de Carvalho Filho, o “Carvalhinho”, sugeriu ao executivo a implantação de uma faixa elevada para travessia de pedestres na Rua Miranda de Carvalho, em frente à Praça Professor Maromba, no Centro da cidade. Os condutores de veículos vêm abusando da velocidade naquele trecho, aumentando o risco de acidentes.

Após mordidas em bebê, prefeitura de Rio Verde é alvo de denúncias por contratação sem processo seletivo

Tanto o TCM quanto o MP apuram negligências na seleção de comissionados para trabalhar em unidades da Educação municipal



Por Elisama Ximenes/JN Opção
Na manhã desta segunda-feira, 17, o secretário de Educação de Rio Verde, Miguel Rodrigues Ribeiro, foi até a Câmara Municipal da cidade prestar esclarecimentos sobre o caso do bebê que foi mordido por funcionários em creche municipal. A vereadora Lucia Batista (PRP) conta que, com o ocorrido, a prefeitura é alvo de denúncias por contratação de comissionados sem processo seletivo.

“Quem cometeu os atos contra a criança não foram servidores efetivos, foram comissionados. E aqui em Rio Verde a maioria deles é contratado por indicação política, não passam por processo seletivo e não têm experiência no cuidado com crianças”, explica a parlamentar.

MP e TCM
Segundo ela, a única resposta que o secretário dá é que os responsáveis já foram exonerados. No entanto, a seu ver, o problema é maior e vai além de um caso isolado. “Já fiz denúncias no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e no Ministério Público sobre essas contratações sem processo seletivo”, relata.

Lucia conta que a tragédia tem sido avisada desde 2017, quando fez a primeira denúncia. “Inclusive o TCM já pediu que o município justificasse esses contratos com dispensa de processo, já que essa seria uma exigência na administração pública”, informa. 

Exploração
Ela aponta ainda outros problemas, como a contratação de estagiários que terminam por exercer a função de um professor. “Eles pagam um valor mínimo a essas pessoas, exigem apenas que eles tenham entrado na faculdade, sem requisito de tempo de curso, e, por fim, esses estudantes trabalham sem supervisão de um profissional exercendo a função de quem deveria orientá-los”, completa.

Lucia conta que, atualmente, as creches funcionam com um número mínimo de efetivos e a equipe é encorporada por contratos e estagiários. Sendo que os últimos são considerados, por ela, como explorados na estrutura municipal.

Além disso, a vereadora acusa a falta de limpeza nas unidades escolares. Isso, porque a prefeitura terceirizou recentemente esse serviço. “Eles fazem a faxina à noite apenas e, durante o dia, são os próprios cuidados que fazem a manutenção. Então como que fica uma creche o dia todo sem limpeza?”, questiona.

Superlotação
Ela explica, ainda, que, em idas às unidades, constatou superlotação nas escolas e creches. “E o concurso para professores não foi feito, retiraram efetivos das creches e substituíram por comissionados. Então exonerar os responsáveis pela agressão à criança não é suficiente!”, alerta.

Sobre as denúncias formais no TCM e no MP, Lucia explica que a Câmara aguarda resposta dos órgãos. “Para cuidar de crianças nessa idade é preciso qualificação e estrutura. Para se ter uma ideia, esses funcionários trabalham 8 horas por dia, mas tem momentos em que fica apenas uma pessoa trabalhando”, detalha.

E acrescenta: “O problema em si continua, não é uma questão isolada, temos uma demanda alta para um número mínimo de efetivos. Tudo em nome de uma economia inexplicável. Educação é investimento, não é prejuízo, e é isso que essa gestão precisa entender”, finalizou.

Vanderlan Cardoso (PP-GO) defendeu a aprovação do decreto que flexibiliza a posse e o porte de armas de fogo

"Cidadão tem que decidir se quer ou não", diz Vanderlan Cardoso sobre decreto que flexibiliza armas de fogo

O senador Vanderlan Cardoso (PP-GO) defendeu a aprovação do decreto 9.785/19 enviado ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro que flexibiliza a posse e o porte de armas de fogo e altera o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826, de 2003). Segundo o senador, o Plenário do Senado Federal vai debater e deve derrubar o PDL 233/2019 que susta o decreto do governo federal, aprovado na última quarta-feira (12/06) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Ele explicou que, depois que o decreto original do presidente sofreu alterações e retirou, dentre outras coisas, o porte e a posse de armas portáteis, como fuzil, carabina e espingarda, a tendência é que seja aprovado pelo Plenário. “Eu não tenho interesse em possuir uma arma de fogo, mas defendo que não podemos tirar o direito do cidadão que tenha esse interesse. Hoje o bandido já tem armas e o pai de família que quer proteger sua casa e seus filhos não pode ter. Não concordo com isso. A escolha de ter ou não arma tem que ser do próprio cidadão”, disse o senador.

Vanderlan acrescentou que o decreto presidencial não vai distribuir armas e munições para todo mundo, como deixa entender quem é contra a medida. Ele explica que as regras ainda serão duras para quem deseja comprar uma arma. “O que não podemos é tirar o direito do cidadão de se proteger. É bom repetir que hoje somente os bandidos andam armados e o cidadão não tem o direito de escolha”, afirmou.

A liberação da posse de arma vai valer para cerca de 20 profissões, a exemplo advogado, oficial de Justiça, caminhoneiro, jornalista investigativo, conselheiro tutelar, agente de trânsito, entre outros, além do grupo conhecido como CACs, composto por caçadores, atiradores esportivos e colecionadores de armas. O senador lembrou ainda da importância de flexibilizar o porte da arma para o produtor rural, que tem sentido o aumento da violência também no campo. “Antes ele só podia ter a arma dentro da sua casa, agora vai poder andar com ela por toda a extensão da sua chácara ou da sua fazenda. Isso é bastante razoável, no meu entendimento”, pontuou.

Saúde pública de Jataí será avaliada pelo Ministério

Prefeito Vinícius Luz se reúne com ministro da Saúde para buscar soluções para UPA e HC

Ontem (17), em Brasília, o prefeito de Jataí, Vinícius de Cecílio Luz, foi recebido pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para tratarem dos problemas enfrentados nessa área pelo município.

Com o apoio do deputado federal José Mário Schreiner, Vinícius apresentou várias reivindicações junto ao ministério. Entre as quais, se destacam uma solução conjunta para a reabertura da UPA e a habilitação do Hospital das Clínicas Dr. Serafim de Carvalho (HCSC) como hospital de ensino.

De acordo com o ministro, todas as reivindicações serão analisadas pela equipe técnica do Ministério da Saúde.

O secretário municipal da Saúde, médico Luiz Carlos Bandeira, a superintendente de Planejamento da SMS, Lizandra Schimizu, e o superintendente de Administração e Finanças, Jaison dos Santos, também participaram da audiência.

Bolsonaro veta bagagem gratuita em voos domésticos, diz Planalto

Do Estadão
O presidente tinha até esta segunda-feira, 17, para assinar o texto da lei, responsável por autorizar investimento de até 100% de capital estrangeiro nas companhias aéreas que operam rotas nacionais

O presidente Jair Bolsonaro decidiu vetar a gratuidade de franquia de bagagem, que foi inserida por emenda parlamentar na medida provisória que abriu o setor aéreo para o capital estrangeiro. A MP, editada no governo Temer, foi aprovada pelo Congresso neste ano.

Durante a tramitação da medida, uma emenda foi inserida para prever que passageiros poderiam levar, sem cobrança adicional, uma bagagem de até 23 kg nas aeronaves acima de 31 assentos.

O Planalto informou nesta segunda-feira, no entanto, que Bolsonaro vetou essa regulamentação. O presidente tinha até esta segunda-feira, 17, para assinar o texto da lei, responsável por autorizar investimento de até 100% de capital estrangeiro nas companhias aéreas que operam rotas nacionais. Até então, o limite era de 20%.

O fim da cobrança por bagagem não fazia parte do texto original da MP. Ao incluir o dispositivo, os parlamentares argumentaram que os preços das passagens não baixaram desde que as aéreas foram liberadas a cobrar por bagagens. Já técnicos da Esplanada que defendiam o veto ao despacho grátis argumentavam que o modelo de negócios das low cost não comporta esse tipo de obrigação.

O Planalto soltou nota afirmando que o veto “se deu por razões de interesse público e violação ao devido processo legislativo”. O texto da lei sancionada, com os vetos, ainda não foi publicado no Diário Oficial da União.

Em café com jornalistas na última sexta-feira (14), Bolsonaro havia dito que uma das possibilidades era manter as alterações feitas pelos parlamentares e editar, em seguida, uma nova medida provisória com regras específicas para empresas aéreas de baixo custo, conhecidas como low cost. Ao fim, no entanto, Bolsonaro acabou vetando as alterações.

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Sebrae Goiás abre inscrições para credenciamento de consultores e instrutores

As empresas aprovadas no processo de credenciamento integrarão o cadastro de
empresas prestadoras de serviços de instrutoria ou consultoria do Sebrae.

Estão abertas as inscrições para o Credenciamento de Empresas para integrarem o Cadastro Nacional de Empresas Prestadores de Serviços de Consultoria e Instrutoria do Sebrae Goiás. 

As inscrições podem ser realizadas de 13 de maio a 05 de julho de 2019. Para saber todos os detalhes e realizar inscrição acesse o edital no site do Sebrae Goiás www.sebraego.com.br

O valor da inscrição é de R$ 200,00 e poderá ser feita através de boleto bancário ou cartão de crédito ou débito. O pagamento por boleto poderá ser realizado até o dia 30/06/2019. Já o pagamento via cartão débito/crédito poderá ser realizado até o dia
05/07/2019. As empresas candidatas poderão fazer inscrição para atuação em até cinco
áreas de conhecimento. Em caso de dúvida, enviar email no endereço:
credenciamentosebraego@metropolesolucoes.com.br

Segundo Seila Maia Lemos Guimarães, coordenadora da Unidade de Gestão de
Credenciados do Sebrae Goiás, o processo de credenciamento consiste em duas etapas:
inscrição e habilitação jurídica e qualificação técnica e regularidade fiscal. “As empresas
aprovadas no processo de credenciamento integrarão o cadastro de empresas
prestadoras de serviços de instrutoria ou consultoria do Sebrae, não existindo número
mínimo ou máximo de empresas credenciadas, que irão prestar serviços quando
demandadas”, explica a coordenadora.